SEOP - Secretaria de Estado de Obras Públicas
Imprimir

Obras de ginásio poliesportivo seguem em ritmo acelerado em Santarém

  

As obras do ginásio poliesportivo de Santarém, no oeste do Estado, seguem em ritmo acelerado, apesar do período chuvoso. Sob responsabilidade da Secretaria de Estado de Obras Públicas (Seop), os trabalhos estão dentro do cronograma e têm previsão de conclusão para o fim de setembro. O investimento de R$ 10 milhões do governo do Estado está sendo usado numa área de 21,5 mil metros quadrados e 6,5 mil metros quadrados de área construída.

Segundo o engenheiro responsável, Paulo Rafael, muitas obras na cidade têm sido prejudicadas pelo forte período chuvoso em Santarém, mas as do ginásio estão dentro do cronograma. Rafael explica que o telhado do ginásio está sendo feito em outra cidade, por um empresa especializada. "Quando estiver pronto vamos apenas montá-lo. É um grande adiantamento", explica.

O engenheiro informa ainda que mais de 60% da obra estão concluídos. Segundo ele, a parte de fundação, que necessitava de maior mão de obra e tempo, já foi concluída. "Estamos construindo os pilares. A fundação já foi finalizada. Ela demandava mais tempo e esforços. Depois que os pilares estiverem prontos, a obra deslancha bem rápido. É como a construção de um galpão. Depois dos pilares, as paredes são rápidas. Em nosso caso, as arquibancadas", detalhou Rafael.

No local da obra, mais de 80 homens executam os trabalhos. O ginásio terá capacidade para um público de 5,1 mil pessoas, o maior em todo o oeste paraense. A estrutura da praça esportiva contemplará áreas como duas amplas bilheterias; recepção; saguão de entrada; setor de apoio ao turista; duas lanchonetes; academia de ginástica e academia exclusiva para atletas; sala de juízes; estacionamento para 500 carros e um palco de 350 metros quadrados e três metros de altura, que poderá receber grandes shows.

O novo ginásio terá salas voltadas ao atendimento de segurança, saúde e projeto de acessibilidade, em conformidade aos critérios preestabelecidos pelo Ministério do Esporte e a Secretaria Municipal da Juventude, Esporte e Lazer de Santarém (Semjel).

Alailson Muniz

Secretaria de Estado de Comunicação

Imprimir

Obras do novo Hospital Abelardo Santos avançam

 

A reestruturação do novo Hospital Abelardo Santos, cuja obra foi iniciada em outubro do ano passado, avança em ritmo acelerado. Mais de 15% do cronograma já foi cumprido e no início do próximo mês será iniciada a etapa de levantamento dos pilares para a primeira laje da fundação. “Tivemos um pequeno atraso por conta das chuvas, mas agora a obra já está em ritmo total”, diz o engenheiro responsável pelos trabalhos, Marcílio Fusco.

Para garantir a agilidade da obra, 150 funcionários trabalham diariamente no andamento do projeto. O novo hospital, que beneficiará os mais de 430 mil habitantes do Distrito de Icoaraci, a cerca de 20 quilômetros do centro de Belém, funcionará em um moderno prédio de doze andares com 250 leitos para atendimentos de média e alta complexidade e 30 para urgência e emergência, ampliando em 200% a atual capacidade, que atualmente é de 55 leitos.

O autor do projeto e arquiteto da Secretaria de Estado de Saúde (Sespa), Joaquim Meira, explica que o projeto, orçado em R$ 156,8 milhões, sob a responsabilidade da Sespa, e executado pelo Consórcio Nova Saúde, será entregue com todos os equipamentos e pronto para iniciar o atendimento. “O contrato fechado com o consórcio é na modalidade "turn-key" (chave na mão), ou seja, a empresa contratada se responsabiliza por todo o empreendimento, desde o projeto até o início da operação”, detalha o arquiteto.

O Abelardo Santos terá Unidades de Terapia Intensiva (UTI) adulto e pediátrica, divididas da seguinte forma: 20 UTI adulto, 20 UTI pediátrica, 20 UCI Neonatal e 20 UTI Neonatal. O empreendimento também contará com um setor especializado em neonatologia completa, imagenologia (mamógrafo, RN, CT, raio-x e USG), métodos gráficos, endoscopia digestiva, terapia renal substitutiva, reabilitação, urgência adulto e pediátrica, unidade de emergência, laboratório de patologia clínica e agência transfusional.

Detalhamento da obra:

Início da obra: outubro de 2013.

Previsão de conclusão: 18 meses

Andamento: 15%.

Valor global: R$ 156.870.472,22.

Empresa responsável: Consórcio Nova Saúde.

Secretaria Responsável: Secretaria de Obras do Estado do Pará (Seop).

Secretaria Beneficiada: Secretaria de Estado de Saúde do Pará (Sespa).

Bruna Campos 

Secretaria de Estado de Comunicação

 
Imprimir

Ampliação do Hospital Materno Infantil em Barcarena vai beneficiar população do Baixo Tocantins

 

A região de integração do Tocantins vai ganhar até o final do ano o Hospital Materno Infantil de Barcarena, uma obra orçada em mais de R$ 5,2 milhões. A unidade está sendo toda reformada e ampliada e suas obras seguem em ritmo acelerado, para atender não só aos moradores do município, como também as cidades próximas, levando dignidade nos serviços de saúde à população. A obra foi encontrada paralisada em 2011 e estava com seu projeto cheio de inconsistências e os técnicos tiveram que adequar a estrutura do hospital às legislações do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O projeto inclui a reforma e ampliação do Hospital Materno Infantil e terá, na parte de internação hospitalar, 35 leitos operacionais, sendo nove na clínica médica, nove obstétricos, seis pediátricos e mais seis cirúrgicos, além de Banco de Leite e cinco quartos para atender ao programa Rede Cegonha. O hospital ainda vai ter 30 leitos complementares, sendo 10 de UTI Neonatal, 10 de UCI Neonatal e 10 UTIs Adultas, além da área ambulatorial, métodos gráficos e diagnóstico, laboratório, área de apoio logístico, farmácia e urgência pediátrica.

A Dra Rita Facundo, diretora de Desenvolvimento de Redes da Sespa, explica que o projeto arquitetônico da obra estava totalmente fora dos padrões da Anvisa e do Ministério da Saúde. “Quando chegamos ao Governo, esta obra estava parada e tivemos que readequar de acordo com as normas e padrões da Anvisa e portarias do Ministério da Saúde”, explicou.

Rita Facundo também falou sobre a importância do hospital para a população. “Nós fizemos uma pesquisa e esse hospital é uma reivindicação da população e vai atender as pessoas daqui e dos municípios vizinhos. Ele vai ser um hospital de perfil materno-infantil e isso vai fazer com que as pessoas fiquem por aqui e não precisem ir para Belém para terem atendimento. Com isso, o Governo atende uma das maiores necessidades dessa região”, ressaltou.

“Nós sabemos de nossa responsabilidade. Temos aqui 15% da obra concluída e vamos entregar esse hospital no final do ano. O ritmo está acelerado e já estamos iniciando o trabalho de cobertura. O bloco cirúrgico já está sendo ampliado, estamos construindo também as UTIs Neonatal, Infantil e Adulta e estamos empregando atualmente 42 pessoas, mas isso vai aumentando de acordo com as necessidades. A gente sabe da necessidade desse hospital para a população e também da obra, já que estamos dando emprego para a população”, explicou Kléber Delfino, engenheiro responsável pela obra.

João Luís Tavares é o encarregado da obra, ele é de Barcarena e sabe como é importante esse hospital para o município. “Não temos nenhum hospital como esse por aqui, tenho conversado com meus amigos aí fora e todos falam sobre a importância de ter um hospital pra atender nossa população”, falou o encarregado. O ferreiro da obra, Danil Aragão, lembrou que a construção do hospital também está dando emprego para a população. “É um hospital de qualidade e o governo chega com essa obra que vai ajudar todo mundo não só agora, mas também no final do ano quando ele estiver funcionando”, festejou.

 

Fonte: Pará em obras

 
Imprimir

Governo do Estado retoma obras do Instituto de Gestão Previdenciária

 

O Governo do Estado retomou, recentemente, as obras de construção do prédio que sediará o Instituto de Gestão Previdenciária do Estado do Pará (Igeprev). A obra, localizada na avenida Alcindo Cacela, próximo ao Museu Paraense Emílio Goeldi, recebe um aporte financeiro de aproximadamente R$ 16,5 milhões e promete ampliar o atendimento aos segurados e beneficiados da autarquia, vinculada à Secretaria Especial de Estado de Gestão.

A construção está em fase de fundação, já na segunda etapa de cravamento das estacas e colocação de blocos. O prédio terá sete pavimentos, duas rampas de acesso e um subsolo com estacionamento para 100 carros e um caminhão. Do primeiro ao sexto andar serão distribuídas salas voltadas à área administrativa e o sétimo receberá o sistema de abastecimento d’água.

A torre principal terá quatro elevadores, sendo três deles destinados aos Portadores de Necessidades Especiais (PNE) e os demais a usuários e funcionários. O novo Igeprev ainda terá área de atendimento para 160 pessoas em 12 guichês, auditório para 277 pessoas, com divisórias removíveis e acesso independente, caso o local receba algum evento externo, e um bloco menor, que abrigará almoxarifado, refeitório e vestiário destinado aos funcionários.

A obra tem recursos administrados pela Secretaria de Estado de Obras Públicas do Pará (Seop) e está a cargo da empresa Circulo Engenharia Ltda. Segundo o engenheiro Igor Azevedo, o projeto é complexo, mas será cumprido dentro do prazo determinado. “Estamos trabalhando num ritmo que nos permitirá concluir a construção em dezembro, três meses antes do que está em contrato, que seria em março de 2015. A estrutura será concluída daqui a quatro meses. Ou seja, nosso objetivo é que de julho a dezembro nos dediquemos apenas ao acabamento interno e externo”, explica.

O presidente do Igeprev, Allan Moreira, conta que a concepção do projeto foi garantida com participação dos servidores, que são o público-alvo do instituto, e que a nova sede possibilitará a concentração de todos os serviços previdenciários em um ambiente mais amplo, seguro e confortável. “É uma sede adequada a todos os padrões de atendimento à pessoa idosa e com deficiência. Esse é o primeiro grande ganho. Além disso, as instalações físicas foram muito bem pensadas e concebidas, gerando um ganho de produtividade. Nossa capacidade atual de atendimento é de cerca de 60 lugares em espera e, com a nova sede, mais do que dobraremos esta capacidade”, detalha.

Ainda segundo o presidente, a área administrativa será ampliada e reordenada, possibilitando a realocação dos servidores de uma maneira adequada. Serão seis andares direcionados especificamente ao setor administrativo, para que possam desempenhar suas funções de maneira mais ágil e tranquila. O objetivo é valorizar não somente nossos segurados, mas também servidor que exerce suas atividades no instituto. Essas melhorias mostram grande sensibilidade por parte do Governo do Estado em relação aos servidores que realizam atendimento e os que precisam de atendimento.

Dados da obra:

Início da obra: março de 2014

Conclusão: março de 2015

Andamento da obra: 25%

Valor da obra: R$ 15.377.777,77

Empresa responsável: Circulo Engenharia Ltda

Secretaria responsável: Secretaria de Estado de Obras Públicas (Seop)

Órgão beneficiado: Instituto de Gestão Previdenciária do Estado do Pará (Igeprev)

 

Nil Muniz

Secretaria de Estado de Comunicação

Imprimir

Bragança ganhará nova unidade de regime semiaberto da Susipe

Com previsão para ser entregue na primeira quinzena de abril, as obras de conclusão do bloco de regime semiaberto do Centro de Recuperação Regional de Bragança, no nordeste paraense, seguem em ritmo acelerado. Com 1.406 metros quadrados, o prédio teve o projeto retomado pelo governo do Estado em setembro do ano passado.

O espaço, construído ao lado da unidade prisional do centro de recuperação, na comunidade rural Vila do Acarajó, terá capacidade para 62 internos. Todo adaptado para dar acessibilidade aos portadores de necessidades especiais, o bloco contará com 13 celas, sete banheiros, áreas para atividades de recreação e uma academia ao ar livre.

Segundo o engenheiro Murilo Sobrinho, da empresa Construtora Miranda Sobrinho, o prédio está com 80% das obras concluídas. O local, que estava apenas com as paredes e a laje edificada, passou por uma série de readequações e melhorias como instalação elétrica e hidráulica, pinturas, instalação das celas, serviço de drenagem, construção de banheiros e implantação de bloquetes em toda a área externa.

“Além de readequar o projeto anterior que estava parado, implantamos algumas melhorias, como a construção de uma sala para jogos e a uma academia ao ar livre, para atender as demandas voltadas para os internos do regime semiaberto”, explica o mestre de obras José Monteiro. O prédio também tem um serviço de reaproveitamento da água da chuva, que será usada na descarga dos banheiros.

Segundo o diretor do Centro de Recuperação Regional de Bragança, Celso Melo, o novo bloco vai descentralizar a demanda do regime semiaberto da Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe), que até então transfere todos os internos do semiaberto da região bragantina apenas para a Colônia Agrícola Heleno Fragoso, no município de Santa Izabel do Pará.

“A transferência dos detentos do regime semiaberto para a Colônia Agrícola fazia com que esses internos ficassem distantes de suas famílias e os acabava isolando de qualquer contato com algum familiar, mas com a construção do novo bloco, isso vai mudar, pois todos os detentos de Bragança, Capanema e Salinas, que cumprem pena em regime semiaberto vão ficar na mesma região de origem, o que deve contribuir ainda mais para a ressocialização, pois a aproximação com a família é fundamental nesse processo”, afirma o diretor.

Segundo o titular da Susipe, André Cunha, a obra faz parte do projeto de ampliação das unidades da Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará, que deve gerar seis mil novas vagas. “No caso especifico de Bragança, a conclusão desse novo bloco de regime semiaberto vai atender a demanda da transferência de internos da região bragantina, que era uma demanda antiga da Susipe. Ao todo serão construídas 29 unidades de sistema prisional, que juntas devem resolver a nossa principal meta: dar fim à superlotação nos presídios”, conclui.

Detalhamento da obra:

Início: 23 de setembro de 2013

Previsão de conclusão: Primeira quinzena de abril de 2014

Andamento da obra: 85%

Valor da obra: R$ 681.395,86

Empresa responsável: Construtora Miranda Sobrinho

Secretaria Responsável: Secretaria de Estado de Obras Públicas (Seop)

Secretaria beneficiada: Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe)

 

Texto: Adison Ferrera

Secretaria de Estado de Comunicação

 

Sub-categorias